terça-feira, 3 de agosto de 2021

Fabio Trad é o deputado federal mais econômico do MS e um dos cinco do Brasil

Pelo segundo período consecutivo o parlamentar sul-mato-grossense se destaca entre os mais econômicos com o dinheiro público




Em tempos de pandemia e generalizada crise econômica no país, o deputado federal Fábio Trad vem honrando seu discurso de respeito ao dinheiro público e, pelo segundo ano seguido (2020/21), foi o parlamentar de Mato Grosso do Sul que menos consumiu a verba da cota parlamentar: pouco mais de 16 mil reais em todo o primeiro semestre de 2021, ou 871% a menos que o penúltimo e 1408% abaixo do campeão de gastos da bancada regional.

Além disso, Trad entrou para o seleto rol dos cinco parlamentares mais econômicos do Brasil. A lista, respectivamente, é composta por Adriana Ventura (Novo/SP), Chris Tonietto (PSL/RJ), Tiago Mitraud (Novo/MG), Paulo Eduardo Martins (PSC/PR) e Fábio Trad (PSD/MS). Entre janeiro e julho deste ano, os cinco mandatos, somados, utilizaram 36.374 mil reais de cota parlamentar, uma média de 7.274 mil reais cada, ou 400% a menos que a média dos 513 deputados da Câmara, que juntos consumiram 82.112.884 milhões de reais dos cofres públicos.

“É possível dinamizar o mandato com economia e racionalidade nas despesas. Nosso mandato otimiza a palavra e a posição. Que estes recursos economizados sirvam para melhores fins, salvando vidas neste momento tão doloroso de nossa história“, disse Trad.

2020 – Ao término do ano passado o deputado Fábio Trad já constava na lista dos parlamentares mais parcimoniosos com o erário. Seu mandato encerrou o período de 2020 como o décimo terceiro mais econômico do Brasil, atrás somente dos mandatos dos deputados Marcelo Álvaro Antônio (PL/MG); Covatti Filho (PP/RS); Tiago Mitraud (Novo/MG); Paulo Eduardo Martins (PSC/PR); Luiz Philipe de Orleans e Bragança (PSL/SP); Altineu Côrtes (PL/RJ); Paulo Ganime (Novo/RJ); Tiririca (PL/SP); Adriana Ventura (Novo/SP); Felipe Carreras (PSB/PE); Gilson Marques (Novo/SC); e Márcio Alvino (PL/SP). Somados, utilizaram 469.179 mil reais de cota, média de 36.090 mil por parlamentar. Já a média da Câmara foi de 320.619 mil reais por deputado, num total de 164.477 milhões de reais despendidos do custeio público durante o mesmo período.

As informações estão disponíveis no Portal Transparência Brasil da Câmara dos Deputados.

Nenhum comentário: