quinta-feira, 16 de abril de 2020

Socorro financeiro - Senador Nelsinho Trad vai brigar por Mato Grosso do Sul

O senador Nelsinho Trad (PSD) afirmou, nesta quinta-feira, em entrevista ao Bom Dia MS, que vai "brigar por Mato Grosso do Sul" no projeto de socorro financeiro a Estados e Municípios no enfrentamento à crise do coronavírus que prevê a distribuição de R$ 89 bilhões. "Estou trabalhando com o secretário de Fazenda Felipe Mattos, o governador Reinaldo Azambuja e o restante da bancada federal para que possamos defender os interesses de Mato Grosso do Sul. O Senado é a casa do equilíbrio, cada Estado tem três senadores. Então, vamos definir com igualdade (os recursos). Não importa se aquele é maior ou menor. Sou municipalista por natureza, tudo o que eu puder fazer para ajudar os municípios, eu vou fazer", destacou o coordenador da bancada federal de MS.

No começo da semana, a Câmara Federal aprovou um projeto que estabelece auxílio financeiro a Estados e municípios durante seis meses pela perda das receitas com arrecadação de impostos por causa da pandemia. No total, segundo cálculos divulgados pela equipe econômica do Governo Federal, o impacto do projeto aprovado pelos deputados é de R$ 93 bilhões caso a arrecadação caia 30%. O cálculo também inclui suspensão de pagamentos de empréstimos a bancos oficiais. Esse projeto foi encaminhado ao Senado Federal, desde então, segundo o senador Nelsinho Trad, os senadores têm como prioridade o socorro financeiro a Estados e Municípios durante a crise do coronavírus e é o Senado que, na prática, dará a palavra final sobre a medida.

Na sessão remota de ontem, de acordo com o senador Nelsinho Trad, a mesa diretora aprovou um pedido para anexar o projeto da Câmara a uma proposta do Senado, apresentada pelo senador Antonio Anastasia (PSD-MG). "Isso prevê ação coordenada de União, Estados e municípios durante a pandemia. Como o Senado será a Casa iniciadora, dará a palavra final sobre possíveis alterações", explicou o senador. De acordo com o Governo Federal, é necessária uma contrapartida dos governos locais em troca do socorro e 80% dos recursos do projeto da Câmara vão para apenas 10 Estados. Com equilíbrio, segundo o senador Nelsinho Trad, o "Senado vai aprovar um projeto que evita distorções como concentrar os repasses para os Estados mais ricos."



Neiba Ota

Nenhum comentário: