sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Para Fábio Trad governo usa argumento autoritário para aprovar reforma

O deputado federal Fábio Trad (PSD-MS) fez duras críticas à maneira como o Governo Federal conduz os debates e os trabalhos para a aprovação da Reforma da Previdência no Congresso Nacional.

Segundo ele, além da demonstração de falta de diálogo com a sociedade, o Palácio do Planalto expõe um “caráter autoritário, fascista e totalitário”, atribuindo ao parlamento nacional uma função meramente figurativa. “O Governo condiciona a Reforma da Previdência à sobrevivência econômica do Brasil como se não houvesse a opção do Congresso Nacional deliberar a respeito de outras alternativas menos danosas e traumáticas que passam, por exemplo, pelo combate à corrupção, a racionalização das despesas públicas, pelo melhor gerenciamento do sistema previdenciário, enfim, por tantos outros caminhos que não a supressão de direitos das pessoas que trabalham a vida inteira para se aposentar”, disse.

Para o deputado, o discurso apocalíptico, do “tudo ou nada” expõe também a incapacidade do Governo de dialogar com inteligência e razoabilidade com a sociedade ao adotar o caminho dos argumentos reducionistas e intimidatórios contra os mais humildes e incapazes de dimensionar as implicações de tal reforma.

“O governo chama milhões de aposentados de ‘privilegiados’ quando, na verdade, se esquece de que está jogando na vala comum os enfermeiros, médicos, agentes penitenciários, promotores de justiça, auditores, enquanto deixa de lado a dívida dos bancos e grandes empresas de R$ 426 bilhões à Previdência Nacional, valor quase 3 vezes o déficit alegado pelo Governo Temer para justificar a Reforma da Previdência”.

Trad questionou, ainda, a estratégia do Governo de presentear com emendas os parlamentares que votarem a favor da Reforma. “Se o conteúdo dessa Reforma fosse tão convincente e necessário como afirmam os governistas, por que então lançar mão de emendas parlamentares afim de ‘convencer’ os deputados a votarem a favor de algo que irá destruir, restringir, suprimir, assaltar e mutilar os direitos do cidadão”?
 

Nenhum comentário: