quinta-feira, 22 de junho de 2017

Reposição inflacionária: ABSSMS mantem mobilização permanente pela luta salarial

A Diretoria da ABSSMS, juntamente com as demais entidades representativas do Fórum dos Servidores Públicos de MS, estão em mobilização permanente, buscando o direito salarial constitucional.
Após manifestação do funcionalismo na Assembleia Legislativa, foi criada uma comissão formada por cinco parlamentares e cinco representantes do Fórum para intermediar a negociação entre governo estadual e o Fórum de Servidores que representam mais de 70 mil servidores estaduais.

Representando os servidores na Comissão estão Thiago Mônaco Marques (ABSSMS), Giancarlo Correa Miranda (Sinpol), Ricardo Bueno (Sintss), Octacílio Sakai (Sindetran) e Jaime Teixeira (Fetems) como integrantes do grupo que deverá negociar com Reinaldo Azambuja.

Em reunião com o Governador, as negociações foram reabertas e este apresentou como condição para a apresentação de um índice a possibilidade do Estado rolar as suas dívidas junto ao BNDES, o que foi autorizado nesta terça (20), pelo Senado Federal, com a aprovação do projeto que facilita a renegociação de dívidas dos Estados com bancos. Mato Grosso do Sul possui três contratos junto ao BNDES, com valor total de R$ 1,2 bilhão.

O Senado aprovou também, outra proposta que auxilia os estados, com um novo limite que prevê novas contratações de crédito.

Além disso, duas leis complementares em vigor (156/2016 e 159/2017) já dispensam os entes da Federação que pretendem aderir ao Regime de Recuperação Fiscal de cumprir exigências estabelecidas pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Durante toda esta semana, a Diretoria da ABSSMS, em continuação dos trabalhos esteve na ALMS, buscando novamente apoio dos parlamentares para antecipar a reunião com o Governo, que esta marcada para 3 de julho.

“Com a renegociação destas dívidas, esperamos celeridade e antecipação nas discussões, que estão marcadas para inicio do mês que vem, pois a categoria amarga três anos sem reposição inflacionaria constitucional.” Finalizou Thiago Monaco Marques Presidente da ABSSMS.

Nenhum comentário: