segunda-feira, 8 de maio de 2017

XVI ENEME em Goiânia promove discussão de temas relevantes

Integrantes das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares de todo o Brasil se reuniram em Goiânia/GO para a o XVI ENEME – Encontro Nacional de Entidades de Oficiais Militares Estaduais e do DF, nos dia 27 e 28 de abril. O presidente da Associação dos Oficiais Militares Estaduais de MS, Coronel PM Alírio Villasanti Romero, se fez presente.

Promovido pela FENEME e organizado pela Associação de Oficiais Militares de Goiás (ASSOF-GO), o encontro contou com a presença de centenas de oficiais e praças, além de pensionistas, dirigentes de entidades filiadas e parlamentares federais e estaduais, dentre eles o deputado federal Subtenente Gonzaga-MG, o deputado federal Jair Bolsonaro-RJ e o deputado estadual Capitão Samuel-SE.

Na oportunidade, foram discutidos temas de relevância para as instituições militares estaduais e a segurança pública, com destaque: A Gestão Governamental; O Modelo e atuação policial de ciclo completo na Europa; A Previdência e os militares estaduais e do DF; O termo circunstanciado lavrado pela Polícia Militar - aspectos de sua implantação e tecnologia avançada – PMSC MOBILE; e os projetos de lei de interesse da segurança pública que tramita no Congresso Nacional e suas consequências para as instituições, para seus integrantes, pensionistas e para o conjunto da sociedade.

O diretor de assuntos legislativo da FENEME, Coronel PMSP CEL PMSP Elias Miler, reforçou que o texto atual sobre a reforma da previdência atende os policiais e bombeiros militares, também disse sobre o projeto de lei de abuso de autoridade que precisa ser aperfeiçoado, pois trás penalidades mais graves para os agentes públicos e por conta disso em breve a Federação fará uma Nota Técnica sobre o projeto.

No encerramento o XVI ENEME o secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás, Ricardo Brisolla Balestreri, classificou a profissão policial de nobre e destacou a rebeldia cívica dos oficiais: “A polícia está a serviço da nação, não teríamos democracia se não tivéssemos polícia. Nós precisamos louvar as milhares de vidas salvas decorrentes de boas práticas e recusar as más práticas. De forma ousada, discreta e corajosa, os oficiais estão discutindo assuntos relevantes para a segurança pública do Brasil”.

O secretário do Tribunal de Contas da União, Sérgio da Silva Mendes exaltou as peculiaridades dos militares estaduais. “Os militares tem subordinação radical com o risco da própria vida. Não é privilégio o tratamento diferenciado dos militares em relação à previdência, é uma recompensa pelo excesso de deveres. A guerra contra infratores da lei e pela autopreservação, como se tem visto no Rio de Janeiro, está levando os policiais militares a neuroses”, pontuou.

Paralelamente ao encontro, foi realizado a Assembleia Geral da FENEME, com a presença dos dirigentes das entidades filiadas. Foram abordados assuntos de âmbito interno da federação, bem como, estratégias para enfrentar o momento atual com a necessidade de melhora da atividade policial e de bombeiro em prol da sociedade brasileira.

Para o deputado federal Subtenente Gonzaga, a FENEME tem dado um exemplo de articulação, de organização e de competência, o que tem sido importante neste momento. “A federação realçou sua preocupação quando a aprovação da lei do abuso de autoridade, que ataca mais a PM que qualquer outro órgão, quando trata da demissão, do uso da algema, entre outras questões. Reforço que sem lutas não há conquista e que temos que ter a capacidade de dialogar e não colocar acima de ninguém”, disse o parlamentar.

Ao final do evento, o presidente da FENEME, Coronel PM Marlon, fez uma avaliação do XVI ENEME, agradeceu a presença de todos, sendo exaltada a necessidade da aproximação das instituições com a sociedade, com a leitura do documento resultante do encontro denominado “CARTA DE GOIÂNIA”, (abaixo)

Nenhum comentário: