terça-feira, 9 de maio de 2017

De que tipo de amor que eu falo?

Falo do amor do esposo companheiro que sai pela madrugada em busca do remédio para a esposa acamada;

Falo do amor do poeta que escreve belezas pensando em agradar ao próximo, mas sabe no fundo que não será lido;

Falo do amor do político que vota com a sua consciência mesmo sabendo que o governo não vai liberar sua emenda para atender a cidade onde mora;

Falo do amor da mãe que, mesmo com febre e dores, faz chá de camomila para a filha se acalmar e com ela estudar juntas depois do jantar;

Falo do amor do mecânico que conserta o carro, cobra o preço justo e ainda agradece a Deus por ter lhe enviado um cliente;

Falo do amor da feirante que, vendo a banana estragada no cacho, substitui por outra mesmo depois que o freguês já havia colocado no saco para levar;

Falo do amor da enfermeira que dá um jeito de o paciente mais urgente furar a fila mesmo sabendo que sua mãe seria a próxima a ser atendida;

Falo do amor do advogado que quando acusa no Júri não comemora a condenação e pede perdão a Deus por ter eventualmente cometido excessos;

Falo do amor do mendigo que chora pela dor de um vira-lata esquecido na noite chuvosa;

Falo do amor do pai que visita seu filho na prisão e leva uma Bíblia comentada para com ele religar-se à Deus;

Falo do amor do amigo que esquece a dívida que o amigo pensou já ter pago;

Falo do amor da criança que sente um pouco de tristeza ao saber que o seu brinquedo novo poderia ser dado também ao seu coleguinha pobre;

Falo do amor que não sabe que ama o amor mais profundo que tem: o Amor com as quatro letras de Deus!

Nenhum comentário: