quarta-feira, 22 de março de 2017

Momento do desabafo !

Em 1989 (portanto, há quase 30 anos atrás) participei de um processo seletivo na OPAS (Organização Pan Americana de Saúde) em Duque de Caxias (RJ) para uma vaga de médico veterinário. Mais de 40 inscritos, ao final, restaram eu e um médico veterinário recém-graduado (2 meses). No final do certame, fiquei em segundo lugar.

Realmente surpreso, pois à época eu estava com 5 anos de formado e possuía residência em Medicina Veterinária, especialização e um mestrado em conclusão, perguntei ao presidente da banca qual foi o motivo da minha não classificação. De forma surpreendente ele me respondeu que “o meu currículo era bom demais e eles não precisavam de alguém com tanta qualificação” (sic)

Passados mais tantos anos, o meu currículo é novamente impeditivo.

Portanto, gostaria realmente de pedir desculpas aos meus amigos por ter concluído duas graduações e ser médico veterinário e advogado, de ser especialista em laboratório de doenças bacterianas e virais, de ser especialista em direito civil e processual civil, de ser mestre em Imunologia e doutor em Doenças Tropicais e Saúde Pública internacional, ambos pela USP/SP e de ser um professor concursado com 25 anos de carreira numa universidade federal do Brasil.

Comprometo-me e, na minha próxima reencarnação, farei menos esforço e virei com ensino fundamental incompleto, morando num apartamento do “minha casa, minha dívida”, e com um salário bem baixinho.

Talvez assim esteja melhor habilitado para ser um gestor de saúde pública no Brasil.

Nenhum comentário: