terça-feira, 21 de março de 2017

Escritor campo-grandense inaugura dia 11/04 o "Café Cult" com o lançamento do livro "Nada Consta"

No dia 11 de abril de 2017 será inaugurado em Campo Grande - MS um novo espaço cultural com livraria especializada em livros reportagens, cabines de estudos e Café-Bar, o Café Cult.

Para celebrar o momento, será lançado no mesmo dia o livro "Nada Consta" obra do escritor e jornalista campo-grandense Danilo "Japa" Nuha, que dentro de várias funções também é assessor de imprensa do grande cantor, intérprete e compositor Milton Nascimento.

O Café Cult é um empreendimento inovador que busca unir em um só lugar livraria, cafeteria-bar e cabines de estudos.

"Nosso objetivo é fomentar a cultura em nosso estado, estimulando a leitura e a produção de livros-reportagem, bem como a valorização do estudo, tudo isso em um ambiente acolhedor e intimista que fará você se sentir como se estivesse em sua própria casa." - diz o proprietário deixando um convite a todos para que prestigiem a inauguração do espaço cultural.

Contato e informações:
Vinil Moraes (67) 98146-0120 ou Ludmila Ferraz (67) 98154-5934

Projeto Florestinha continua Educação Ambiental para 14 escolas e 3.250 alunos em comemoração aos 30 anos da Polícia Militar Ambiental

Desde o dia 14 de março a PMA tem recebido diversas homenagens, em razão do seu aniversário de 30 anos, comemorados no dia 19 de março e o Projeto Florestinha tem realizado diversas atividades de Educação Ambiental no Estado. Durante a semana passada, as crianças e adolescentes do Projeto Florestinha da Capital realizaram Educação Ambiental na cidade de Três Lagoas, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação daquela cidade e a empresa MS GAS, que é parceira no Projeto, atendendo 1819 alunos de cinco escolas públicas municipais.

Nesta semana, a Educação Ambiental continua. Desde ontem (20), estão sendo atendidas escolas na Capital. 223 alunos da Escola Municipal Irmã Edith Coelho Neto foram atendidos ontem. Hoje (21) pela manhã mais 304 alunos da Escola Municipal Etalívio Pereira Martins foram atendidos. Ainda serão atendidas a escola Ideal, Escola Municipal Nazira Anache e a Escola Municipal Hercules Maymone no bairro Nova Lima, respectivamente nos dias 22, 23 e 24, com perspectiva de atendimento de mais 900 alunos, perfazendo 1427 alunos.

Em Ladário, os trabalhos iniciaram-se hoje pela manhã na Escola João Batista. Até sexta-feira (24) serão atendidas também a Escola Municipal Marques Tamandaré; Francisco Mendes Sampaio e Eduardo Machado, com perspectiva de atendimento de mais 1.500 alunos

Os trabalhos de Educação Ambiental são executados em forma de oficinas didáticas com as seguintes temáticas:
  • Reciclagem de papel, com palestra sobre os problemas relacionados aos resíduos sólidos.
  • Visitação ao museu de animais e peixes taxidermizados e materiais utilizados em crimes ambientais (empalhados), com palestra sobre fauna, pesca, atropelamentos de animais silvestres, etc.
  • Apresentação do teatro de fantoches, com peças sobre as questões ambientais, como: desmatamentos, incêndios florestais e resíduos sólidos, etc.
  • Ciclo da Água, com palestras sobre o ciclo, uso sustentável, poluição e escassez dos recursos hídricos.
  • Casa da Energia, Trata-se de uma maquete de uma residência com todos os locais de consumo de energia (lâmpadas, chuveiros, ar condicionado, geladeira, micro-ondas etc.). Com esta oficina é realizada a discussão e informação sobre os tipos de energia e a importância ambiental de se economizar este recurso.
  • Plantio de mudas nativas, com palestra sobre flora (Desmatamento, erosão de solos, controle de poluição, assoreamento), preservação, conservação e uso racional dos recursos hídricos.
Ao final dos trabalhos são entregues aos professores, folhetos com os temas discutidos nas oficinas, para que eles deem continuidade às informações, por meio da Educação Ambiental formal. A idéia é que os alunos entendam que o ambiente é um sistema complexo e interativo, em que qualquer ente afetado, prejudica outros em cadeira, gerando desequilíbrios que vão interferir diretamente na qualidade de vida do ser humano.

sábado, 18 de março de 2017

Presidido por Fábio Trad ex-deputado federal do Mato Grosso do Sul, Novo CPC completa dois anos

Para o advogado e professor universitário, Mato Grosso do Sul foi protagonista no desenvolvimento do novo Código Processual Civil
Com linguagem simplificada e condições que facilitam o acordo entre as partes, o novo CPC (Código Processual Civil) completa neste sábado (18), dois anos de sua criação. O trabalho minucioso e debatido em todo país foi conduzido pelo advogado e ex-deputado federal Fábio Trad. A proposta do Novo CPC veio com a promessa de reduzir pela metade o tempo de resolução de processos judiciais.

Para o advogado, o Novo CPC foi o último grande momento de produção legislativa na política nacional. "O impacto está se revelando positivo à medida em que o código está mobilizando uma nova cultura jurisdicional na prestação de serviços à população. O processo está mais preocupado em ser resolutivo e eficiente do que em ser formalista".

O ex-parlamentar ainda afirma que é cedo para fazer uma análise sobre a eficácia do novo código, uma vez que ele entrou em vigência há apenas um ano, "o NCPC herdou uma enorme quantidade de processos que nasceram na lei anterior. É certo porém, que o novo código oferece vários instrumentos para evitar a morosidade na tramitação das ações".

Fábio ainda revela que Mato Grosso do Sul teve papel importante no desenvolvimento do CPC. "O protagonismo de MS se fez sentir a medida em que levamos o nome do nosso estado a todos os rincões deste país. Foram centenas de audiências públicas nas cinco regiões do Brasil e o nosso estado sempre presente na linha de frente deste processo de transformação".

E revela que esse trabalho após dois anos, traz a sensação de dever cumprido na realização de um trabalho complexo. "Foi um trabalho conjunto e compartilhado com várias pessoas comprometidas com a necessidade de melhorar a lei".

Por fim, o ex-parlamentar ainda comenta que agora, é necessário modernizar outros códigos, como o penal e o código de processo penal. "Pois não podem conviver com códigos contemporâneos e atualizados, além de uma constituição relativamente recente. Precisamos atuar para que isso aconteça logo, pois um país sem boas leis está fadado ao fracasso", finaliza.

Histórico

O novo CPC representa uma evolução político-cultural histórica por ser o primeiro código totalmente elaborado dentro de um regime democrático. O anterior datava de 1973, época em que o Brasil vivia a ditadura e, por isso, ainda continha traços que favoreciam o poder ditatorial, apesar de recepcionado pela Constituição Federal promulgada em 1988.

A iniciativa de reformular o texto atual começou em 2009, com o ex-senador sul-mato-grossense Valter Pereira. Na Câmara Federal, Fábio Trad abraçou o projeto após disputa interna com o hoje presidente da Casa de Leis, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), tendo finalizado a relatoria em 2013. Aprovado na sequência, o CPC foi sancionado em março de 2015 pela presidente Dilma Rousseff (PT).

Afastado da carreira política, Fábio ganhou reconhecimento no meio jurídico por seu esforço na elaboração do texto. “Advogado militante e deputado de primeiro mandato, Fábio assombrou os pares pelo tirocínio e pelo feito quase inacreditável: conseguiu que o código fosse aprovado na Comissão Especial em menos de dois anos. Trad é uma das peças-chave que ajudaram a construir o novo CPC”, apontou o jurista Fredie Diddier.

Com 1.086 artigos, o código prestes a entrar em vigor possui também grandes contribuições de outros sul-mato-grossenses: os advogados Luiz Henrique Volpe Camargo e Sérgio Muritiba, além do desembargador Dorival Renato Pavan. O texto teve ainda a participação de diversos juristas, sindicatos, confederações e até igrejas, com destaque especial para a atuação dos internautas, fazendo sugestões e críticas que foram incorporadas ao CPC.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Vereadora cria o "Castramóvel" que atende gratuitamente cães e gatos em Salvador BA

É difícil andar pelas ruas da capital baiana e não encontrar pelo menos um cachorro na rua. Seja em bairros centrais ou periféricos. Muitas pessoas reclamam da presença do animal nas vias e relatam já terem sido atacadas, ao passar em determinados pontos da cidade. No entanto, de acordo com a vereadora Ana Rita Tavares (PMB), defensora da causa animal, ataques de cães costumam ser exceções. Na verdade, os animais que costumam ser maltratados pelos humanos.

Uma cadela entra no cio duas vezes ao ano. Dando a luz a apenas um cachorro, em seis anos, uma única cadela seria responsável pela vida de 64.700 animais. Através de projeto (PIN-001/2013), de autoria da vereadora Ana Rita Tavares (PMB), a Prefeitura de Salvador implantou o Castramóvel – uma clínica móvel que realiza castração em cães e gatos. O projeto combate a reprodução descontrolada de animais de rua. Desde janeiro de 2014 foram realizadas mais de 25 mil cirurgias.

“Imagine quantos nascimentos não foram evitados?! Dentro do castramóvel temos a castração dos cães comunitários. Esses animais que vivem no espaço público não são animais de rua, porque tem sempre alguém cuidando dele. Seja uma baiana, um comerciante. Algumas pessoas que estão sistematicamente alimentando os bichos, senão eles [os cães] não conseguiriam viver. Por isso, não são cachorros de rua, são cachorros comunitários”, explicou Rita Tavares.

De acordo com ela, é raro encontrar cães sendo agressivos com seres humanos. Na maioria das vezes, são os animais que precisam de proteção. “Resgato muitos animais, inclusive atropelados. O animal sabe que o ser humano é perverso. Muitos desses cães entendem que estão em condição de humilhação, então costumam ficar quietinhos. Nós precisamos educar a população para ter respeito e consideração com esses animais, porque ali é uma vida”, destacou a vereadora.

O projeto está sendo de grande ajuda para a população e despertou o interesse de outras prefeituras em outros estados como: