quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Declaração do ex secretário nacional de segurança pública sobre o caos no Espírito Santo

Não vou entrar em detalhes ou ajuizamentos sobre o que está acontecendo no Espírito Santo.

Só digo que entendo o seguinte: o estado plutocrático brasileiro trata os seus policiais como mero "braço armado" para conter os pobres e blindar os ricos.

As nossas oligarquias de mauricinhos, patricinhas, playboys e dondocas, alçados à condição de homens públicos e mulheres públicas, gente das "boas famílias" brasileiras que se apossaram da política, vêem os policiais como os seus "empregadinhos" autorizados ao uso da força.

A visão das elites sobre a polícia é totalmente oportunista e patrimonialista. Também as elites da trágica pseudo-esquerda brasileira, em relação a isso, não se portaram diferentemente, quando estiveram no poder.

Exigem tudo da polícia e quase nada dão em troca. Sub-pagam, sub-empregam, sub-equipam, sub-capacitam. No fundo, têm pelos policiais, que querem que os protejam, o mais absoluto desprezo.

Direitos humanos não são também para policiais. Nem reivindicar e se organizar podem. Quando a coisa explode, e sempre explode, e muitas vezes explode muito mal e desordenadamente, ficam apavoradas, revoltadas, ultrajadas, mas não revisam os seus procedimentos em relação às polícias.

As sufocam, sempre na base da repressão, e nada aprendem, nada evoluem.

E esperam que a coisa mude? Vai sempre piorar e se tornar mais perigosa...

Nada mais triste do que uma classe dominante que, além de muito perversa, é também muito burra...

Nenhum comentário: