quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

ADEPOL repudia ataques contra delegada de Mato Grosso do Sul nas redes sociais

A ADEPOL/MS - Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Mato Grosso do Sul vem repudiar veementemente as postagens em mídia que desqualificam o recém iniciado trabalho da Delegada de Polícia Daniella Kades, na instauração de investigação policial dos fatos que culminaram com a morte de Adriano Correia do Nascimento e ferimentos em outras duas pessoas.

Procurada por diversos jornalistas, em razão da comoção que o caso originou, a Delegada Daniella explicou de forma bastante clara que a investigação policial abrangerá todas as versões e hipóteses existentes, buscando apurar a verossimilhança e verdade em cada uma delas, com plena autonomia e independência, trazendo ao inquérito policial a dinâmica dos fatos e a verdade real. Em momento algum afirmou a Delegada de Polícia Daniella Kades, como profissional que é, neste início de apuração, que os fatos ocorreram em legítima defesa.

A investigação policial, por força constitucional, é atribuição da Polícia Civil sendo conduzida por Delegado de Polícia sob o manto da imparcialidade que, por obrigação funcional, analisa as versões e possibilidades fáticas aventadas, e não somente uma ou outra versão, ao sabor da opinião de quem quer que seja, prestando-se dessa forma para a absolvição de inocentes ou condenação dos culpados.

Algumas pessoas desprovidas de sensibilidade e embasadas unicamente em seu próprio julgamento dos fatos obtido na tela de seu computador, atacam de forma grosseira e gratuita a honra da Delegada de Polícia Daniela Kades. Foram mais longe: atacaram o Concurso Público de Provas e Títulos para ingresso na carreira de Delegado de Polícia de Mato Grosso do Sul, aviltando assim coletivamente a honra de todos os membros da classe.

A Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Mato Grosso do Sul vem a público externar o mais irrestrito apoio à Delegada de Policia Daniella Kades e a todos os membros da carreira que tiveram sua honra aviltada pelas palavras e expressões ofensivas publicadas, lembrando que o Delegado de Polícia é o primeiro garantidor dos direitos do cidadão e da dignidade da pessoa humana.

De outro norte, a ADEPOL-MS manifesta seu total e absoluto apoio às liberdades de imprensa e de expressão garantidas pela Constituição Federal, desde que respeitadas as hipóteses legais de sigilo, os limites éticos e morais e os próprios profissionais responsáveis pelas investigações, opondo-se unicamente aos abusos e excessos cometidos, como no caso presente.


Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Mato Grosso do Sul

Os detalhes do caso ainda estão sendo investigados pela polícia, que ainda não confirmou nenhuma das versões.

Nenhum comentário: