segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA

por Coronel Rogério

O princípio da insignificância vem do direito romano e foi resgatado pelo ordenamento jurídico alemão em 1964. O brocardo “de minimis non curat praetor”, é sua síntese: O pretor não cuida de coisas pequenas. O direito penal não deve se distrair com condutas que não causam maiores danos em detrimento de condutas que trazem efetivo desequilíbrio nas relações jurídicas em sociedade (extraído do texto publicado no InfoEscola).

No campo da vida e suas relações nada deveria ser insignificante, tudo tem a sua proporcionalidade e dimensão dada por cada um.

Imaginem um grão de areia, uma gota no orvalho, um simples palito de fósforo ou uma ovelha desgarrada do rebanho, para Ele nada será insignificante, tudo tem seu valor e todos se tornam gigantes.

As insignificâncias que devemos extirpar são aquelas oriundas do orgulho, do egoísmo, da intolerância, da incompreensão e da falta de respeito.

Que saibamos dar mais valor às pessoas, a natureza e a grandiosidade da nossa própria existência, cada um neste universo e multiuniverso tem um papel fundamental para a coexistência harmônica e pacífica entre os povos.

Que Ele continue a nos ensinar que a fé remove montanhas e que jamais devemos abandonar uma ovelha que se perdeu do rebanho, afinal de contas temos uma missão a cumprir com muita espiritualidade e amor.

Um ótimo dia e uma semana realizadora!

Nenhum comentário: